Como Começámos

Na região vinhateira mais antiga do mundo nasce nos anos 90, aquela que viria a ser chamada de Quinta da Penalva ou Perdiz. Esta surge da junção de pequenas parcelas, vinhas velhas na sua maioria, herdadas de antepassados para quem o cultivo da vinha pouco segredo tinha, dado que o faziam desde sempre. Mais tarde, e já com o actual proprietário, agregaram-se mais parcelas, juntando assim às vinhas velhas, novas plantações, cultivadas mediante as mais recentes técnicas de plantio.

Em 2006, o actual proprietário decide criar uma nova marca de vinho, feito com a produção de uvas da Quinta da Penalva ou Perdiz. Pensava ele que era “uma pena não aproveitar uma matéria-prima de tão boa qualidade para fazer o que sabia de melhor (o vinho)”. Nascem então os vinhos Pala da Lebre, que provêm das mais finas castas e do melhor terroir, aos quais se juntam um microclima de excelência.

villenoir statement

We thrive in making fine wines that enrich the taste&soul.

O nome

Pala da Lebre

O nome Pala da Lebre provém de uma história ancestral. Existe na propriedade uma fraga de pouca profundidade, mas de grande comprimento onde as lebres se abrigavam para se protegerem dos inimigos naturais. Apelidou-se então o vinho de Pala da Lebre, em homenagem aos milhares de lebres que durante vários séculos usaram a propriedade como refúgio.

O Douro

A Região

Quinta da Penalva ou Perdiz situa-se em Pinhal do Norte e Pombal de Ansiães, concelho de Carrazeda de Ansiães, distrito de Bragança. Encontra-se na região demarcada do Douro, mais concretamente no Douro Superior. Toda a propriedade é banhada pelo rio Tua, afluente da margem direita do rio Douro.

Nas margens do rio tua encontramos a Quinta da Penalva ou Perdiz, acompanhada por relevo irregular e encostas de declive acentuado. As margens rochosas formam muralhas que se elevam em direcção à foz, no Douro, quase como que a proteger o rio.

Situada de 170m a 420m de altitude, a Quinta da Penalva ou Perdiz beneficia de condições climatéricas muito atípicas que proporcionam a produção das melhores e mais finas uvas da região demarcada do Douro.

Pala da Lebre

Timeline

Location

As primeiras videiras

Começam a ser plantadas as primeiras videiras, hoje são as vinhas velhas da propriedade. Os vinhos generosos eram feitos pela família e posteriormente vendidos às grandes quintas de “Ingleses”, taís como Cockburns; Symington e também para a Real Companhia Velha…

Final Séc. XIX

Location

Plantação da Touriga Nacional

A família adquire mais algumas parcelas e é plantada a Touriga Nacional mais antiga da propriedade junto ao rio Tua.

1920 a 1950

Location

A transformação da Quinta

A quinta começa “a ganhar forma” e começam os arranques de videiras de forma a que as máquinas agrícolas pudessem operar.

1960 a 1980

Location

Nasce a Quinta da Penalva

Surge da junção de pequenas parcelas, herdadas de antepassados, vinhas velhas na sua maioria e com grande variedade de castas.

1994

Location

Nasce o vinho Pala da Lebre

Vinhos de excelência, que provêm das mais finas castas, do melhor terroir, e um microclima excepcional.

2006

Location

O enólogo

Início da parceria com o nosso Enólogo - Rui Walter da Cunha.

2012

Deve ter mais do que 18 anos para visitar este site.

Por favor valide a sua idade!